O início.

Em 31 de dezembro de 2005, viria ao mundo uma pequena criatura que ainda não tinha a mínima noção de como iria ser amada e trazer amor a um casal de descendentes Japoneses. Viviamos numa pequena cidade da província de Shizuoka-ken ( Japão), e só quem vive e trabalha no Japão, sabe como é complicado a aquisição de um Pet , ainda mais se esse Pet for um cão. Pois bem, já estávamos a muito tempo planejando adquirir um Sheltie (raça muito comum no Japão) e também imaginando como nossos vizinhos japoneses iriam reagir quando descobrissem, pois até então era proibido animais de estimação desse porte em condomínios do Estado. Um belo dia, minha esposa passando por um Pet Shop, avistou de longe uma linda cachorrinha. Por vários dias ela passava pelo local e pensava; " Pelo jeito, vai ser minha!! " . Passados alguns dias, se aproximava meu aniversário e foi então que ela resolveu " juntar a fome com a vontade de comer ". Me chamou para ir buscar meu presente de aniversário, e quando ela me pediu para encostar no Pet, eu já estranhei, olhei para cima e lá estava " Uma linda Sheltie " e da cor que eu sempre quis (Marta). Foi um baque , pois na hora já veio na cabeça os problemas que iriamos ter com os vizinhos, poderiamos até ser expulsos do condomíno , porém não exitei e aceitei o presente. Foi como se tivesse tirado algumas toneladas das minhas costas pois amamos cães e essa era a minha tão sonhada!! Conversamos com o dono do Pet, e pedimos para ele apenas mais alguns dias pois não poderiamos aparecer lá sem antes deixar tudo certinho, pois ninguém poderia desconfiar que iamos ter um cão quase que na mesma entrada do zelador do prédio.
Enfim chegou o grande dia , que não tinha mais como ser adiado, a Babi, tinha que ir pra casa, e como uma boa Sheltie aprender que não poderia latir, e assim o fez. Ficamos impressionados com a inteligência, rapidez no aprendizado e todo dia a tarde conversavamos sobre como era possível para um casal sem experiência alguma com cães , conseguir fazer com que aprenda tão rápido? Mas ela merecia mais que isso, logo procuramos uma casa térrea onde era permitido cães e assim ela teria mais liberdade. Foi a melhor coisa que poderia ter acontecido tanto para ela quanto para nós, pois podemos aprender com ela que além de uma mocinha muito educada, também era uma companheira de caminhada de primeira!!! Todo final de tarde ela estava lá, pronta para nossas caminhadas no calçadão da praia , era tudo perfeito e a cada dia um aprendizado para nós. Em 2009 tivemos outra benção que foi o nascimento de nosso filho e a infelicidade de perder meu padrasto. Tivemos que retornar ao Brasil pois minha mãe tinha muitas responsabilidades por aqui e não estava dando conta de fazer tudo sozinha.Tudo bem , Babi , arrume sua caixa de transporte pois o Brasil nos aguarda!! Pra ela foi tudo maravilhoso , apesar do calor que ela não estava acostumada, tinha muito mais espaço agora. Assim foi até 15 de dezembro de 2012 onde perdemos nossa melhor amiga, e hoje fazemos uma criação por Hobby , pois assim como nós descobrimos essa raça maravilhosa, outras pessoas também devem conhecer e assim ser mais difundida ( desde que seja com responsabilidade). Não temos várias ninhadas por ano pois hoje os 8 Shelties que temos continuam assim como a nossa eterna Babi a serem membros de nossa família. Tentamos ao máximo adquirir experiência, planejando cruzamentos sempre com orientação de pessoas maravilhosas como Dra. Priscyla Taboada do Canil Sheltie´s Shelter , de onde veio nosso Will , filho Cross Creek The Dreamer (Sony) e a doce Chelsea. Outra pessoa que foi fundamental para dar continuidade a essa linhagem tão desejada, e acabou se tornando uma amiga muito querida foi, Juliana Sales do Prado , que nos apresentou e viabilizou as negociações com o canil Akumi-go, da criadora Monica Akumigo (Argentina) e assim adquirimos mais um lindo casal, Dream Boy de Akumi-go (Boy) e Dakota de Akumi-go , filhos de Cross Creek Onix que foi Campeão e Grande Campeão Argentino, Campeão Internacional de Beleza, Campeão Latino Americano, Veterano Vencedor das Américas e do Caribe: das 4 Exposições, 2 vezes foi considerado o melhor da raça , que por fim viria para dar continuidade a essa genética maravilhosa! 

Agradecimentos:
Priscyla Taboada Dias da Silva do Canil Sheltie´s Shelter;
Monica Akumigo do Canil Akumi-go (Argentina);
Juliana Sales do Prado ( Psicóloga Canina );
José Casuiochi Murashima Junior ( SCAN Saúde e Ciência Animal - Campinas)
Ana Cláudia Borin (Médica Veterinária)
Deborah Terra ( Médica Veterinária )